01- capa.png

E S P A Ç O   E N E R G I S A

USO: INSTITUCIONAL

LOCALIZAÇÃO: FAZENDA SERRINHA, BRAGANÇA PAULISTA, SÃO PAULO, BRASIL

ÁREA TERRENO: 80.457,38 m²

ÁREA CONSTRUÍDA: 5.865,12 m²

ANO DO PROJETO: 2019

STATUS: EM ANDAMENTO

PROJETO ARQUITETÔNICO E EXECUTIVO: STUDIO ZENITAL ARQUITETTOS

PROJETO PAISAGÍSTICO: STUDIO ZENITAL ARQUITETOS

FOTOGRAFIA: STUDIO ZENITAL ARQUITETOS


 



 

1/9

Uma nova experiência lúdica no dossel da Fazenda Serrinha, um lugar em transformação que resgata os processos da natureza e promove experiências criativas. O espaço promove encontros, imersões e celebrações, uma espécie de laboratório a céu aberto de produção, pesquisa e experiências artísticas, em que o fazer e o aprendizado encontram-se intimamente relacionados. Tem entre suas principais razões de ser o cuidado e a preocupação com a região da Serrinha. Isso está impregnado na essência do movimento: seus criadores compartilham o sonho de estabelecer relações mais humanas, criativas e respeitosas entre as pessoas, as culturas e as paisagens.

O novo parque de sustentabilidade estará localizado dentro de uma área de 120 hectares de área verde, trata-se de um refúgio de Bragança Paulista cerca de 90 km da megalópole de São Paulo, cuja paisagem é marcada pela represa do Jaguari- Jacareí e pela serra da Mantiqueira. O novo projeto da Fazenda Serrinha possui uma área territorial de 80.457, 38 m² e seu projeto contará com a construção de um parque que ensina sobre a energia e suas múltiplas formas de produção, com o amparo da empresa DATTE – Tecnologias Avançadas em Gestão construindo um complexo com 5.865 m².

Toda a premissa da Fazenda Serrinha, que é reconhecida como uma reserva ecológica particular, propõe estabelecer um momento de celebração e de imersão artística na natureza em oficinas, vivências, residências, shows, performances, palestras, teatro, cinema e exposições de arte que acontece todo ano, no período de Julho, desde o início dos anos 2000 e criar o Festival de Arte Serrinha, um evento cultural que trouxe um sopro de vitalidade para toda a região que agora irá ampliar com o Parque Energisa.

O projeto se concedeu de uma imersão profunda sobre o conceito do local, o que ele representa para o local e torna-lo significativo para a cultura e fortalecer os indivíduos com aprendizado pela experiência. Com a premissa de sustentabilidade em todo o parque, foi reutilizado quinze containers Hc 40’’ transportados do Porto de Santos para conceder a ideia, aplicando as estratégias que maximizam a troca de ventilação interna através da ventilação cruzada adotando esquadrias com controle, diminuindo a utilização de ventilação mecânica, as paredes internas são revestidas em gesso acartonado com tratamento termo-acústico com lã de PET para obter um conforto térmico em todo o projeto.

O programa do parque possui um estacionamento para veículos, vans e ônibus para receber e atender a demanda de escolas e excursões para conhecer o parque. Nele, encontra-se uma administração e recepção, sanitários, cozinha, refeitório, auditório para 55 pessoas, um anfiteatro para 100 pessoas, containers lúdicos que mostram a discussão sobre as variadas formas de energia e transformação.

Devido ao grande desnível do terreno, com cerca de 17 metros de desnível até o topo do projeto, obteve-se uma modificação topográfica com uma solução em patamares acessando os espaços através de rampas e escadas acompanhando a topografia. As rampas foram pensadas em tornar o percurso mais agradável e acessíveis com piso em concreto armado e possuem uma cobertura em policarbonato alveolar de 10 mm estruturados em perfis metálicos.

O projeto de arquitetura paisagística forma um cenário natural emoldurado pela paisagem de mata nativa, onde buscou-se formar composições de forrações herbáceas com as espécies barba de serpente, trapoeraba roxa, agapantos, íris, estrelítzia e grama amendoim ao redor dos containers criando detalhes da composição de canteiros que buscam uma harmonia das formas sinuosas destacam os containers, criando texturas e cores de arbustos e forrações. Para região do lago artificial pontuou-se espécies como costela de adão, papiros e bromélias imperiais compondo com rochas locais. Para pontuar o estacionamento, escolheu-se espécies adequadas para gerar sombra com tipuana, jacarandá, manacá da serra e ipê roxo.

Totalizando assim, um projeto que resguarda a brutalidade do container e se envolve com a natureza e a beleza do local. Um projeto que transpira sustentabilidade e inovação da tecnologia aliada as novas fontes de energias renováveis para gerar e ensinar as futuras gerações do mundo.

Studio Zenital Arquitetos

e: Rua. Uruguai, 421 - Passo Fundo

Ed. Albert Einstein Center, 603

t: +55 54 9138-2124 / h: 8:30 às 18:00

contato@studiozenital.com

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone